sábado, 14 de outubro de 2017

ENCARNAR EM SI MESMO

Salve, gente bacana!

Algumas pessoas que possuem uma inquietude dentro de si, são capazes de fazerem perguntas tão profundas quanto espantosas.

Uma dessas perguntas que chegou até nós é sobre o reencarne e a consciência, a transmigração, entrantes, trocados e coisas do gênero. Pessoas preocupadas se ao saírem em Astral terão seus corpos invadidos por outros seres ou criaturas. Práticas apométricas seriam bem guardadas e vigiadas? Conseguiríamos um momento de "férias" do corpo físico para podermos nos recuperar energeticamente em outra faixa de dimensão vibracional?
Perguntas assim nos deixam repletos de alegria por sabermos que existe interesse em sair adiante além do mundo da matéria.

Nisso encontramos um trecho da obra "Mãos de Luz", em que o personagem conversa com uma inteligência avançada e nesse diálogo, uma nova opção é revelada, a possibilidade de reencarnar em si mesmo!

Como seria isso? Em que momento se daria, para quê?

Ao que nos consta, seria uma oportunidade consciente de otimizar reencarnes futuros no mesmo corpo com um nível de consciência distinto, duas consciências no mesmo corpo em transição até que uma absorve a outra de maneira gradativa e sem conflito, eis que a mesma pessoa. Confiramos aqui o trecho em que esse diálogo se desenvolve:

David: “Que significa reencarnar dentro do mesmo corpo?”

Heyoan: “Num sentido, e aqui precisamos apelar para uma metáfora, você se reúne com os seus guias espirituais antes do nascimento e escolhe os seus pais; escolhe um grupo de realidades prováveis; escolhe trabalho para fazer; e escolhe um conjunto de energias, que construirão um corpo. Em certo sentido, você separa uma porção do seu Ser Maior, toma essa consciência e cria um corpo com ela. Escolhe seus pais e as qualidades físicas que deles herdará.
“Você se senta e escolhe tudo isso com um propósito específico. Se, numa determinada existência, completar esse propósito e alcançar certa meta, será sempre muito fácil acrescentar outra existência. Você simplesmente entrelaça a nova consciência, que pode ser usada no corpo seguinte, com o antigo corpo e a consciência antiga.
“Assim, terá feito bem o seu trabalho e, à medida que funde a nova consciência no ‘antigo corpo’, encontra muitas mudanças ocorrentes, pois está agora integrando os dois.”
Consciência Livre
David: “Eles já estão integrados.”

Heyoan: “Com efeito, Não é uma coisa maravilhosa? Quando morre ou, como preferimos dizer, quando parte ou deixa cair o corpo, e já não necessita dele como instrumento de transformação, transmutação e transcendência, você não precisa criar outro. O corpo é um instrumento, um veículo que você criou para focalizar determinados pontos dentro do eu que deseja transformar de um modo muito eficiente. Todos os sistemas do corpo são construídos precisamente para essa transformação. Você o verá no trabalho, no sistema nervoso, no funcionamento automático do corpo, até no funcionamento das células dos ossos. Descobrirá que cada porção do corpo é um instrumento delicado e belo para uso da transformação. Não é um fardo. É um dom. Infelizmente a maioria dos seres humanos não o compreende.
“Se voltarmos a usar a metáfora de sentar-se a uma mesa de conferência conosco para escolher a sua vida, você, a maior porção de você, que não está completamente encarnada (e nós precisamos dizer que você não pode fazê-lo de maneira alguma), a maior porção de você decide se o melhor lugar de que dispõe para o próximo trabalho de transformação é ou não é um corpo. E quando tiver feito pleno uso desses veículos físicos, sejam eles quais forem, terá terminado o giro da vida e da morte, como lhe chamam, ou a roda de encarnações no plano físico. Você, simplesmente, já não precisa desse instrumento para separar um tempo linear, nem de um espaço tridimensional que lhe facilita a visão dos pontos determinados que deseja transformar. É nesse ponto que você decide — você, o você maior, e você é uma grande alma, muito maior do que a porçãozinha encarnada. Você então decide se vale ou não a pena, digamos assim, utilizar o corpo físico. É mais ou menos como apanhar uma enxada ou um ancinho. O jardim ainda precisa ser limpo com um ancinho? Nesse caso, por que não usar o ancinho, em vez de usar, digamos, a mão?”
Consciência Livre
David: “E depois que terminamos nossos giros de encarnação no plano físico?”


Heyoan:  (...) “Sua realidade física está agora passando para a fase seguinte, onde a transformação já não focalizará a dor. A transformação e o tratamento futuro abrangerão o movimento, a música e a arte de forma criativa. O tratamento vira criatividade à proporção que nos movemos para a luz e a retemos dentro de nós. À maneira que se dissipa a escuridão, o processo de transformação torna-se mais um processo de criatividade do que de cura.”

Um abraço fraterno.

domingo, 1 de outubro de 2017

TRANSTEMPORALIDADE

Dentro da Terapia de Vidas Passadas, de Regressões, existe uma vertente defendida pela autora Bárbara Ann Brennan designada por “transtemporal”. Ela entende que esta terminologia é mais adequada ao trabalho de memórias passadas em função exata e direta de que o tempo não é linear, portanto, seria incorreta a ideia de “regredir” no tempo, pois não podemos afirmar categoricamente que estamos hoje no futuro de um passado nosso... Podemos estar, segundo ela, e alguns cientistas, vivendo exatamente um “passado” e nosso futuro não detectável pelas nossas percepções é que estaria comandando as rédeas que mudam constantemente nosso “presente”.

Consciência Livre

“TRAUMAS TRANSTEMPORAIS
Muitas pessoas, num determinado ponto ao longo do seu caminho espiritual, principiam a ter experiências transtemporais, mencionadas como experiências de uma vida passada. Alguém pode estar meditando e, durante a meditação, ―lembrar-se‖ de ter sido outra pessoa em outra era. Ao realizar um trabalho de terapia profunda, em que reexperimenta traumas desta existência, outra pessoa pode, de repente, reviver um trauma experimentado em ―outra existência.
A experiência transtemporal provavelmente não pode ser definida de modo completo em virtude do nosso senso limitado de tempo e de espaço. Pessoalmente, entendo que a expressão vida passada é um modo assaz limitado de definir uma experiência dessa natureza. Tanto os físicos como os místicos concordam em que o tempo não é linear nem o espaço é apenas tridimensional. Muitos autores já se referiram a realidades multidimensionais e multitemporais existentes umas dentro das outras.”
Bárbara Ann Brennan

Consciência Livre


Isso explicaria de certa forma o motivo pelo qual nossa consciência de nós mesmos enquanto encarnados nesta existência é pontual, não se dá conta de outra projeção, exceto por lampejos de imagens, sons, cheiros, gostos e outras percepções sensórias não táteis.
Seriam os “anjos da guarda”, os “guardiões”, “guias”, “mentores”, “instrutores”, toda espécie de amparadores meramente uma manifestação de nós mesmos em uma outra faixa dimensional? Outra realidade cósmica? Sideral? Outra expressão de nosso Ser?

Consciência Livre

Nossa memória celular é, por hora, um dos únicos acervos de acesso às marcas dessas outras existências lineares ou expressões contínuas de realidades multitemporais. Recolhendo terapeuticamente essas memórias podemos trabalhar com os impactos e cargas de grande intensidade emocionais que a cada dia que passa, em todas as faixas etárias, demonstram estar mais e mais afloradas; com esse acesso dirigido, essas memórias que muitas vezes trazem reflexos e gatilhos traumáticos com efeitos recorrentes no agora de nossa consciência encarnada, podem ser estudados com atenção dirigida, compreendidos, entendidos e transmutados, ou seja, purificados, limpos, libertando a essência de fóton, de luz, primordial que nos conduz ao bem-estar restituindo-nos a capacidade de nos reencontrar como indivíduos.

Consciência Livre


O REPSICON, atua diretamente nesse aspecto recognitivo, resgatando dessa mesma memória celular, ou, DNA, a desprogramação de implantes, estigmas, faixas vibratórias estranhas, alheias e equivocadas, trazendo de volta o contato gradativo com o íntimo original de nossa própria criação sideral.

Consciência Livre

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

CURSO DE FORMAÇÃO EM REPSICON - Resgate Psicoenergético Consciencial.


Leve para sua cidade o Curso de Formação na Terapia do Resgate.
O REPSICON oferece a você Terapeuta ou simpatizante, a oportunidade dessa união.
Monte sua turma, mantenha contato e feche um evento de formação com 7 módulos e mais uma aula prática de Resgate em sessão real.

Mantenha contato: 43-99151-4551 ou ainda pelo 43 - 3347-8701 e conheça os detalhes.
Uma parceria com Bem Estar Terapias Naturais.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A ORAÇÃO

Salvem, gente bacana!

Muitas vezes nos pegamos em situações diversas e variadas ou até mesmo repetitivas que nos fazem questionar se estamos tomando as decisões certas, se estamos realizando as atividades direito, se o que estamos fazendo para nossa subsistência está adequado, estudos, trabalho, relacionamentos, saúde, e todas as funções atinentes e correlatas ao que se precisa para estarmos bem neste Planeta.

Aos nos depararmos com cenários desanimadores e insistentemente desagradáveis, voltamos nosso pensar para algo além de nossas capacidades humanas, algo místico, religioso, sobrenatural até. E assim, fazendo uso de uma reflexão desesperada chegamos a buscar suporte divino e o caminho em geral é a reza, a oração, a prece.

Mas, rezar, efetivamente ajuda? Resolve? Quando voltamos nossa atenção para a palavra em si e no que nela está implícito como ato de contrição, troca ou simplesmente esperança atrelada à fé e o que seus ritos particulares exigem como definição de oração veremos que isso pode nos conduzir ao rechaço ou à adoração inconteste.

Não é o caso aqui. Mas sim exemplificar uma forma, um método, um caminho, muito similar à uma meditação, a um encontro consigo mesmo de orar.

Segundo Ben Daijih em sua visão amasófica, a oração é uma entrega de si para o todo, com todas nossas capacidades, habilidades, defeitos, falhas, conquistas, anelos... Todavia implica sim em um movimento, um gesto, uma postura específica para que seus efeitos possam ser mais práticos, reais, rápidos.

Em um recolhimento amoroso, na consciência de seu papel cósmico, se dispor e abrir seus Arquivos para a divindade recolher o elemento que precisa e colocar à disposição do sistema, isso é uma "doação", e nesse ato de doar-se, fornecer o que mais íntimo se tem em prol do todo, essa entrega é a comunhão com o seu Sagrado, portanto, sem ligações equivocadas ou duvidosas, portanto, sem receios ou bloqueios.

Uma oração seria algo assim:

"Abro todos os meus arquivos secretos e não secretos.
Exponho diante da realidade da vida, toda a minha realidade pessoal; e disponho isso na sua total integridade para a perfeição da vida."

Esse ato de oração, comunhão e mais que isso é um gesto de Misericórdia.

Não creia. Experimente.


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

EXPLOSÃO SOLAR

Maior explosão solar em 11 anos acaba de acontecer e está atingindo a Terra agora!

Maior explosão solar em 11 anos acaba de acontecer 
e está atingindo a Terra agora!

Nota Blog O SOL INTERNO:
Quando o sol se inflama, às vezes atira uma gigantesca nuvem de plasma magnetizada para o espaço. A EMC é a forma mais lenta e perigosa de tempestade solar, levando a partir de 12 horas a vários dias para chegar à Terra. 
Fiquemos atentos para as próximas 24hs!
Resultado de imagem para explosão solar em 11 anos acaba de acontecer

O Sol acabou de explodir (10:30h, horário de Brasília) uma verdadeira bomba que atingiu o nível X.9, o máximo na escala que mede o poder desses fenômenos. É o maior deste ciclo solar 24, e não havia outro registrado à onze anos, desde o dia 05 dezembro de 2006, no ciclo de 23. Não se sabe no momento se as partículas são acompanhadas por uma ejeção de massa coronal do tipo geoefetiva que pode causar danos ao nosso planeta.
O “incêndio solar” ocorreu apenas há poucas horas depois de outro também muito forte, do tipo X2.2 ter acontecido, esses pequenos “flashes” já são capazes de provocarem apagões fortes de rádio (R3 na escala NOAA), e isso já aconteceu na Europa Ocidental, incluindo Espanha e África.
Conforme relatado pela a Associação Espanhola de Protecção Civil para o Clima Espacial (AEPCCE), os últimos alargamentos vêm da região solar ativa 2673, que tem crescido rapidamente nos últimos dias, de acordo com observatórios de todo o mundo. Este local já estava ativo, com alargamentos de média (M), a maioria das quais ocorreram na terça-feira (M5.5).

As erupções solares são classificadas nas letras A, B, C, M e X, que seguem um número de 1 a 9. Os níveis pertencentes à classe X são os mais elevados. É possível monitorar o Sol e o Mundo aqui em nosso site, só Clicar Aqui.

O Marco Brotto vai caçar auroras polares (que obviamente são causadas por explosões solares) essa noite. Faremos a transmissão em nossa página, confira detalhes das caças as auroras no site dele aqui.

domingo, 27 de agosto de 2017

ESTUDO SOBRE AUTOSSABOTAGEM

Salve, gente bacana!
Em 13 de março de 2015, realizamos um estudo sobre a Autossabotagem...
Queremos agora partilhar e dividir aqui nossas percepções a respeito com todos vocês.
Um fraterno abraço.

ESTUDO SOBRE AUTOSSABOTAGEM
A atuação do processo de autossabotagem pode ser considerada uma ORDEM SUBLIMINAR de nosso inconsciente que: ou está satisfeito com o que tem e não há interesse em buscar outras “aventuras” em função apenas de comparações com terceiros; ou encontra-se aprisionado pelo temor de sair de uma espécie de zona de conforto a qual mantém a pessoa “segura” no estágio em que se encontra.
Consciência Livre
No primeiro caso a pessoa acaba se machucando (às vezes literalmente) por sofrer em função da incerteza do que quer ou ser. Estar pleno com pouco é o que basta para si, ocorre que os outros querem sempre mais e o “melhor” para nós e por nós.
No segundo o temor de perder o que se tem (mesmo que pífio) não permite sair adiante, todavia neste caso, a própria pessoa está insatisfeita, mas não se permite arriscar, ousar.
Mas e a autossabotagem e sua atuação?
É preciso evidenciar se sua atuação é isolada ou alicerçada basilarmente pela PREGUIÇA a qual mina, “sabota” propriamente, qualquer pretensa iniciativa que eventualmente se proponha a fazer. Mas quem gosta disso é a própria pessoa que, outorga a esse terceiro a culpa pelo fracasso – considerando essa hipótese da preguiça.
Consciência Livre
Agora levemos à avaliação o caso de um pai de família que passa sua vida tentando de “todas” as formas conseguir recursos financeiros para adquirir, por exemplo, sua própria casa e não o  consegue. Observemos que não se trata de uma casa qualquer em uma vila popular, mas busca uma casa dita decente em um bom bairro (esse seu sonho). Não é tão exigente ao ponto de querer uma mansão.
Sua atividade profissional não oferece por si só tais recursos; apostar em loterias, uma quimera; financiamentos repletos de obstáculos; empréstimos negados; parcerias recusadas... e uma gama de barreiras fantásticas e absurdas que conduzem ao desgosto, decepção e fracasso.
Consciência Livre
Então indagamos: Seria o fator preponderante em um caso desses a busca pelo melhor? Como alguém que quer o melhor para si e para os seus se autossabota ou está com preguiça de vencer honestamente se o resultado de tudo será mais conforto e alegria?
Mas não estacionemos por aqui, precisamos observar mais.
Consideremos agora o jovem que almeja o melhor a sua saúde... Ao buscar uma atividade física “sempre” lhe ocorre um cenário que inviabiliza ou dificulta, impossibilita até mesmo corporalmente a prática de um exercício – e nem sempre é atrelado a dinheiro – uma série contínua de lesões ou machucados que se revezam pelo corpo ao passo que vão sendo tratados; machucados dos mais ridículos e improváveis, os quais culminam na “necessária” paralisação ou até mesmo impossibilitação do simples deslocar-se: dor nas costas; braços; pernas ou contínuos processos de gripe, alergias; compromissos que lhe furtam horários das práticas; fechamento das academias e outros fenômenos do tipo.
Consciência Livre
Porque haveria prejuízo em manter a forma? O que efetivamente estaria ocorrendo a título de “proteger” a pessoa de obter prazer e alegria com a salutar prática de exercícios?, se é exatamente o contrário que ocorre não podendo realizá-los?
A mulher que se vê em uma situação onde não consegue arrumar uma atividade profissional, seja como empregada ou como dona de seu empreendimento. Se se vive apenas em resposta do capital que se obtém, como alguém em sã consciência se colocaria mentalmente contra si próprio?
Hipóteses existem algumas: preferência por tarefas desafiadoras (nunca é o bastante); perfeccionismo (quer sempre um algo melhor ainda); medo do fracasso (nem tenta); falta de mérito; culpa; preguiça do procedimento; sem valor; excesso de coisas e tarefas a fazer; questões espirituais; implantes; desígnios; obsessores; falta de amor ao semelhante.
Consciência Livre
Existe, ainda um caso em que a sabotagem que viria de um Plano Espiritual a qual não permitiria que a pessoa seguisse (ou conseguisse)realizar seus sonhos por NÃO ser essa a sua meta, seu Planejamento Monádico, por JÁ ter vivido essas experiências; ou ainda por questões punitivas, ou ainda preservadoras, por exemplo: não conseguir uma casa nova seria exatamente para evitar que a pessoa passasse por um acidente ou mudasse seu perfil, sua personalidade o que culminaria num futuro inadequado para o momento. O mesmo se daria para todos os demais insucessos.
O que também ocorre poderia ser que tudo isso iria na contra-mão da famosa Lei da Atração. Como querer algo bom poderia prejudicar a pessoa ou  a alguém? Medo de dar conta de tanto sucesso? Tanta abundância? Tanta prosperidade? Falta de canalizar energia mental suficiente para realizá-los? Pensar pequeno?
Consciência Livre
Existe ainda a questão da valoração.
Ás vezes queremos várias coisas e não oportunizamos nenhuma em face da mais difícil, chata ou cara ser a mais necessária ou importante. Aí não se tem nem uma nem outra.
Foco dolorido.
Focar nos estágios difíceis, complexos, dolorosos nos afastam anos luz do objeto almejado. Mudar de foco a todo tempo desviando a energia e o aporte superior para a concretização do desejo. Medo da liberdade. Não saber o que quer.

Portanto, uma opção, seria na saúde, no afeto, no conforto, na alegria, melhora a jornada e agiliza o processo de realização e não dos caminhos árduos para conseguir.
Consciência Livre

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

OS MOTIVOS QUE NOS FAZEM PARAR

Salve, gente bacana.
O Consciência Livre buscando otimizar condutas e trazer à baila uma nova reflexão sobre comportamentos que conduzem a pessoa a ficarem do mesmo jeito, divulga o vídeo abaixo com o singular título: "Porque não fazemos?". Descubra você mesmo - se fizer...





Um Toque de Sabedoria

Um Toque de Sabedoria
Acesse mais material no G+