segunda-feira, 12 de novembro de 2012

PRÁTICA DA COMPREENSÃO DO MEDO


O que fazer, por onde começar então esse estudo?
Já o começamos! Descobrimos que existe uma estrutura densa que possuí galhos, segmentos que nos atravancam o avanço interno (e externo também) e nos incomoda. Esse o fator: incômodo. Se não perceber o incômodo não tenho interesse algum em investigar nada, excetuando a curiosidade.
Descobrimos também quem é que nos incomoda. Um elemento de energia densa chamado medo.

Agora necessário estudá-lo com naturalidade e calma. Descobrir o interesse do medo em nosso universo. Convidamos o praticante a se questionar ouvindo seu Ser Interno: Qual seria o interesse efetivo do medo em nossas vidas?... Alimentar-se! De quê? Energia.

Consideremos: tal como a dor, o sono, a fome, são estruturas interessadas na fonte que o ser humano gera: energia, o medo também tem seu interesse específico e particular: alimentar-se da energia gerada pelas glândulas de nosso corpo quando acossado por flagelos físicos, mentais ou espirituais. O medo é um corpo vivo em nós, tem fome, quer e precisa comer e dará seu jeito através das pessoas que estão inconscientes.

2 comentários:


  1. "Descobrir o interesse do medo em nosso universo", parece que essa frase penetrou no fundo do inconciente, como se fosse um clarão, iluminou, deu para enxergar algo e entender.

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse o objetivo... despertar! Bem-vinda!

      Kheóps Justo.

      Excluir

Um Toque de Sabedoria

Um Toque de Sabedoria
Acesse mais material no G+